Monday, December 12, 2016

Concretos &/ou Brazilian Inteligentsia



Haroldo de Campos reading Galáxias in Júlio Bressane's Sermões (1989);
Haroldo de Campos, imagem em Hi Fi (Ivan Cardoso, 1999);

"Eu honestamente achava que Haroldo tivesse feito um pacto com Mefistófeles."
"Como pode Haroldo de Campos ter morrido praticamente na pobreza?"
Gerald Thomas, Entre Duas Fileiras

"Passei Piratas do sexo voltam a matar, Amor & Tara, Nosferato no Brasil para Décio Pignatari e Haroldo de Campos, em sessão privada em São Paulo. Os concretos são as pessoas mais importantes, lúcidas e inteligentes deste país." Torquato Neto, Torquatália: Geléia Geral (Rocco, 2004, p. 346).
"... a piadinha sobre o fim da poesia concreta, se não foi piadinha mesmo, e das mais nojentas, é porforice no duro." Torquato Neto, Torquatália: Geléia Geral (Rocco, 2004, p. 348).
"Como pode alguém criticar Haroldo, se nem escrever sabe? Ridiculous!" Hélio Oiticica in Torquatália: Geléia Geral (Rocco, 2004, p. 367).
************************************************************

Augusto de Campos, Haroldo de Campos and Décio Pignatari are known as poets. But they have also written insightful and challenging theoretical works whose relevance is far away from being merely academic or parochial. They dealt with literary and cultural issues (not only Brazilian) in a truly cosmopolitan and sophisticated perspective, in books such as the following: 
- Augusto de Campos, Verso Reverso Controverso. São Paulo: Perspectiva, 2009. 
- Haroldo de Campos, Deus e o Diabo no Fausto de Goethe. São Paulo: Perspectiva, 2008.
- Haroldo de Campos, Metalinguagem & Outras Metas. São Paulo: Perspectiva, 2013.
- Décio Pignatari, Semiótica & Literatura. Cotia: Ateliê Editorial, 2004.

These books constitute an antidote to a shallow kind of sociological reductionism that sometimes besieges Brazilian literary criticism. As a random example of this kind of reductionism, take the following sentences in an otherwise good critical edition of Alvares de Azevedo's Lira dos Vinte Anos"como se sabe [sic], o pessimismo reinante na segunda geração do romantismo se constitui num contraponto ao naufrágio dos ideais revolucionários que caracterizaram a escola no seu nascedouro"; "chegamos aqui ao coração do problema, ou seja, a posição de classe do poeta"; "o eu-empírico, o eu-autoral, o eu-poético e o eu-transcendental são funções da história" (Ateliê Editorial, 2014, p. 47, 51, 54). 

***See also:
- Cristovão Tezza haunted by Barthes;
- Icons of Romanticism (Brazil);
- Pour une littérature mineur: Mário Quintana as I see him;
- Pau Brasil (Oswald de Andrade);
- Mario de Andrade, tel que je l'imagine (bricolage & fragments);
- Noite Morta (Manuel Bandeira, 1921);
- Favorite Drummond (with translation);
- Two invisible phanopoeias & a silence (by Arnaldo Antunes) + Alice Ruiz;
- Podem ficar com a realidade (Leminski);
- Poème du retour: Paulo Leminski et l'éternel moustache de Nietzsche
- Augusto Meyer e Machado de Assis;
- A Stragegy for Writting;
- Poesia Brasileira ao Oriente do Oriente;
- Erged'olho e vee-lo-edes;
And also:
Genug! Manifesto;
Cinema Novo's Judgment Day;
- Cordiais Saudações;
- Call me Helium;
- Brazilian Perspectivism?
- Tropicalismo: Brazil by the early 1970's;

No comments:

Post a Comment

Leave your comments below: